Buscar

Descubra tudo sobre os tipos de exame PCR e como realizá-los.




Identificada em 31 de dezembro de 2019 após registros de casos na China, a doença denominada COVID-19 teve origem do coronavírus SARS-CoV-2, grupo de vírus causadores de infecções respiratórias. As manifestações clínicas da COVID-19 transitam entre infecções assintomáticas e complicações respiratórias graves.


Atualmente, para detectar covid-19, existem três tipos de exame PCR: os chamados RT-PCR, os testes sorológicos e os testes rápidos. No entanto, para maximizar a confiabilidade dos resultados, fazer o teste por si só não é suficiente. Você precisa saber a hora correta e em que circunstâncias fazê-los.


Continue acompanhando este artigo e entenda a principal diferença entre esses testes e quando realizá-los!


Teste RT-PCR

A RT-PCR (Reverse Transcriptase Polymerase Chain Reaction) é considerada o padrão ouro para o diagnóstico de COVID-19, sua confirmação é obtida pela detecção e análise do RNA SARS-CoV-2 em amostras, preferencialmente por raspagem da nasofaringe.

Passo a passo de RT-PCR:

  • transformar RNA viral em DNA;

  • amplificação do DNA;

  • se a amostra contiver material genético de SARS-CoV-2, uma sonda detectará sua presença e enviará um sinal, que será captado pelo dispositivo e convertido em resultado positivo;

  • se o resultado for positivo, confirma-se a suspeita de COVID-19.

Para realizar esse procedimento, é necessário ter a autorização do seu médico. A coleta pode ser feita a partir do 3º dia após o início dos sintomas até o 10º dia. Isso porque a quantidade de RNA tende a diminuir ao final desse período.


Em outras palavras, o teste RT-PCR pode identificar o vírus durante o período em que está ativo no organismo, para que sejam aplicadas condutas médicas adequadas: internação, isolamento social ou outros procedimentos relacionados ao caso.


Teste sorológico

Outro na lista de tipos de exame PCR está o teste sorológico. A sorologia examina a resposta imunológica do corpo aos vírus. Isso é feito testando anticorpos IgA, IgM e IgG em pessoas que foram expostas ao SARS-CoV-2. Nesse caso, o teste é realizado a partir da amostra de sangue do paciente.


Para tornar o teste mais sensível, é recomendável realizá-lo pelo menos 10 dias após o início dos sintomas. Isso se deve ao fato de que a produção de anticorpos no organismo só ocorre no menor tempo possível após a exposição ao vírus.


A realização de testes sorológicos fora do período de tempo especificado pode resultar em resultados falsos negativos. Portanto, é necessária uma solicitação médica para a realização do exame.


Testes rápidos

Existem dois tipos de testes rápidos no mercado: testes de antígenos — que podem detectar proteínas na fase ativa da infecção — e testes de anticorpos (que podem identificar a resposta imunológica do corpo aos vírus. A vantagem desses testes é que os resultados saem rapidamente e assim, é possível tomar as medidas de cuidado com mais rapidez.


No entanto, em comparação com outros métodos, a sensibilidade e a especificidade da maioria dos testes rápidos existentes são muito baixas. O Ministério da Saúde apontou que a taxa de erro de resultados negativos rápidos chega a 75%, o que cria uma sensação de insegurança e incerteza, o que torna impossível interpretar os resultados negativos e determinar se os pacientes relevantes precisam manter o isolamento social.


Vale destacar que nem todas as pessoas com infecção por SARS-COV-2 desenvolverão anticorpos que podem ser detectados pelos tipos de exame PCR existentes. Especialmente aqueles com sintomas leves ou nenhum sintoma. Portanto, mesmo em pessoas com COVID-19 confirmado por PCR, os testes sorológicos podem ter resultados negativos.


Entendeu como funcionam os exames PCR? Veja agora como agendar seu teste de detecção para COVID-19 com facilidade e agilidade!


0 visualização0 comentário